sábado, 7 de março de 2009

Dia internacional da Mulher

Uhu! Parabéns pra mulherada!!!

Vou aproveitar a deixa pra falar um pouco sobre o universo feminino da NZ, que eu achei bastante peculiar.

A NZ foi um dos primeiros países do mundo em termos de reconhecimento da importância da mulher no mercado de trabalho e na política. Quando eu cheguei aqui, ano passado, a Primeira Ministra era Helen Clarke (feia de dar dó, coitada), que vou substituída na eleição em novembro. Existem partidos que fazem questão que seus representantes principais sejam mulheres e praticamente não há distinção de sexo nessa área.

Segundo o anúncio de vibrador (yep!) que vi ontem em Ch, existem 35mil mais mulheres do que homens na cidade. Nas fazendas, a mulherada pega pesado mesmo, sem dó em piedade, carregando bezerros e semelhantes, se sujando de lama e semelhantes, "iguar que nem" homem.

Acho que por causa da igualdade, não há menção de sexualidade ou sensualidade. Não há "popozudas", mocinhas, meninas meninas. O universo adolescente segue os modelos britânicos de violência, bullying e estranhamento, mesmo entre meninas. Existem as meninas kiwis, loiras, e as maoris, morenas e grandes. E brigam mesmo! A moda é estranha, com uma distinção clara entre meninas e senhoras, deixando as mulheres do meio sofrendo. As roupas de meninas são cor de rosa, e as de senhoras, pretas. E essas últimas, sempre confortáveis, largas, lisas. Dificilmente vejo estampas ou uma modelagem mais ousada. As blusinhas, mesmo regatinhas, são compridas e as calça tem cintura média, nada de cofrinho. Os biquínis, já comentei, são horríveis, com regatas ao invés de bustiês e as calcinhas tem bundões horrorosos. Os sutiãs porém, são lindos mesmo em tamanhos grandes.

Existem salões de cabeleireiro, de manicures e de estética. Não tem essa de fazer funilaria completa no mesmo lugar. E tudo que envolve beleza é bem carinho, por isso, os corredores de cuidado pessoal do supermercado é gigante e vende todos os tipos de creme e afins. Como em tudo nesse país, é Do It Yourself. Se vire pra ficar manicurada e depilada. Unhas postiças e cabelos bicolores são bem normais, e meninas saindo de casa com oitenta peças de roupa tb é normal (meia calça colorida listrada, shortinho, polaina, regatinha, sutiã aparecendo, blusinha, camisa, jaqueta, cachecol, gorro e luvas) e os sapatos são horrendos, old ladies shoes. Nadica de nada de bico fino. Só sapatilhas rasteiras, chinelinhos, botas sem salto e mary-janes de escola, pretos e pesados.

Os cabelos são..bem...loiros! E bem ralinhos. por isso, ver longas cabeleiras soltas é bem raro, as mulheres costumam usá-lo curtinho e moderno.Depois dos 30 anos, deve ser lei, pq nunca vi nenhuma de cabelo comprido. As maoris que tem cabelo longo e moreno, está sempre preso.

O veneno de escolha da mulherada é o vinho branco, bebido sem moderação e levado para todas as reuniões. Aqui vale o Byob, que é " leve sua bebida pra passear" e elas bebem que nem macho.

As senhoras mais velhinhas ainda saem e trabalham em cafés, supermercados e caixas de banco, e de vez em qdo a gente topa com umas múmias de 327 anos e se assusta, mas a maioria é tão simpática.

Não há cumplicidade e intimidade entre as mulheres. Elas dominam o mundo por aqui, mas é estranho.

Um comentário:

A Rainha Desvairada disse...

As mulheres são estranhas em qualquer parte do mundo, isto é fato.

Mas aqui elas só são um pouquinho mais estranhas. E se vestem um pouquinho pior (se bem que você deveria ir para Goiânia...).



Quanto às velhinhas de 337 anos... Isso sim, é algo que de vez em quando ainda me assusta... XD