domingo, 23 de novembro de 2008

Meg


Não é minha, mas eu sinto tanta saudade da Cléo que é quase....

A Jana achou no shed uma família de gatinhos recém-nascidos há umas duas semanas...trouxe uma menina pra casa e uns dias depois, um menino, Bill, que agora mora feliz na casa da Tati em Methven.
A Meg é a coisa mais fofinha do mundo e nós estamos perdidamente apaixonados. Ela tem complexo de papagaio e gosta de escalar a gente e ficar empoleirada no ombro.
E é lindinha, rajadinha de cinza e preto, e minúscula mas está crescendo a olhos vistos, e já tem uns faniquitos de correr a casa inteira, e....bem, é uma gatinha filhotinha!

Cléééeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeoooooooooooooooooooooooooooo

Um comentário:

kiko disse...

Filha Ingrata
Espero que você, além de arrumar uma filha nova, não queira arrumar um pai e uma mãe novos.
A Cléo não pode nem pensar nessa possibilidade de deserção e nada falarei a ela sobre a existência dessa tal Meg.
Se a Cléo souber, seremos forçados a levá-la a um psiquiatra e, quem sabe, até dar-lhe remédios com tarja preta. He he.
Kiko Mazziotti