quinta-feira, 20 de novembro de 2008

"Janta junto todo dia, nunca perde essa mania..."

Nesse exato momento, o Rô está cortando a grama da casa, eu acabei de fazer o almoço, a Érica lavou a louça e a máquina de lavar roupa está na terceira carga de hoje e meu sabão em pó está acabando, preciso pôr na lista, junto com a manteiga e pão e amaciante e uma vassoura decente.
Já colhi flores no jardim, a Jana passou aspirador, eu troquei os lençóis da cama e até a Lisa-que nunca-colabora, hoje resolveu arrumar o quarto. Os gatos dormem no quarto, felizes e bolinhas.

No Brasil, eu tenho uma família maravilhosa, que eu não escolhi, mas é perfeita pra mim, com todas as suas peculiaridades.
Então eu não sei se é uma necessidade do ser humano em geral, dos brasileiros ou minha mesmo, mas aqui a gente foi se ajeitando, se arrumando, se entendendo e quando eu vi, já tenho um marido (ok, esse eu importei mesmo), 3 filhas, um filho, dois gatos netos e uma penca de agregados. Faço comida, pelo menos meio prato só de vegetais, arrumo o armário, limpo a porta da geladeira, me preocupo se todo mundo comeu salada, cuido das feridas, dos espinhos nos dedos e corações, lavo roupa e lembro a Jana que ela tem que tomar o remédio. Escondo os doces, consolo uma criatura cansada e mando uns dois irem tomar banho logo. Grito "filha" e pelo menos uma responde. Lembro da minha própria me dizendo que já estaria rica se ganhasse um centavo cada vez que ouvisse "Mãããããe" quando eu ouço alguém me chamando pra contar o que o outro fez. Ou quando me pego respondendo "oi amor, que vc precisa?" pra todos os Fês que ouço por aí.

Não sei se está nos planos de Deus ou mesmo nos meus ter filhos. Mas tenho certeza que carrego uma placa que diz: Família em formação aqui. Aceita-se qualquer um.

3 comentários:

Mazziotti disse...

Te amo!

absintovoce disse...

Que linda, que lindos, dos gatinhos bolinhas, à sua preocupação com a saúde de todos, filhos ou não. Me adota? =)
Te amos!

Anônimo disse...

Aprendi muito